Novidades

Últimas notícias
11 março 2011

Silêncio Conveniente

Mais um carnaval chegou ao fim. Esse foi mais especial para mim por ter sido o de número 30 que participei. Depois de tantos anos comandando trios, tenho a preocupação de que, se nada for feito, o modelo que transformou nosso carnaval na maior festa do planeta pode estar com os seus dias contados.

O carnaval que se encerrou em Salvador perdeu totalmente o sentido que o transformou em uma manifestação popular de alcance internacional. O elemento mais importante da festa, até hoje, sempre foi o folião de rua. Por essa razão, Salvador passou a ser desejada, dentre outros motivos, por possuir um fantástico carnaval de rua.

O que vi de cima do trio esse ano, foi mais uma festa indiscutivelmente grandiosa, comandada por grandes artistas de diversos estilos musicais, que movimentou economicamente a cidade, mas com cada vez menos apelo popular.

Só posso falar do circuito Barra/Ondina, que é o que tenho desfilado nos últimos dez anos. O que aconteceu por lá, no meu entender, passou do limite do que se possa chamar de razoável. Engarrafamentos e atrasos não são uma novidade dos dias atuais, eles sempre existiram. Esse foi, inclusive, o motivo do surgimento, no passado, de uma fila que, até hoje, ordena o desfile dos blocos.

Há alguns anos se fala que o carnaval de Salvador está privatizado pelos blocos. A minha opinião sempre foi divergente. Vejo os blocos como os grandes responsáveis pelo surgimento dos artistas que levaram a música das ruas de Salvador para o mundo. Nenhum de nós conseguiria chegar aonde chegou sem o apoio deles. Portanto, mesmo sabendo que muitos pensam diferente de mim, não acho os blocos de trio os vilões dessa história. Ainda defendo que continuam sendo fundamentais.

Para mim, o que hoje determina a desconfiguração do nosso carnaval é a dinâmica imposta à festa pela evolução dos camarotes. No desfile deste ano, apesar de algumas quebras de trios, a relação artista / camarote, foi a maior responsável pelo monumental atraso ocorrido. Ressalto que não sou contra a existência de camarotes, muito pelo contrário. Há 10 anos exploro um espaço aonde monto um. Esse ano funcionou lá o de minha amiga Claudia Leitte. Discordo é da maneira como eles estão interferindo na festa.

Atualmente, cada vez mais artistas se tornam donos ou parceiros de algum camarote. Até aí nada de errado, se esses espaços fizessem parte da festa de rua como uma opção para quem preferisse curtir com todos os confortos que eles oferecem.

Hoje, o fluxo do desfile está sendo ditado não mais pelos foliões das ruas. Cada artista, ao chegar em frente ao seu camarote, passa a fazer um show, quase que exclusivo, para os que lá estão, como se nada mais no circuito importasse. Alguns deles contam hoje com passarelas que transportam as atrações para dentro, onde as apresentações são feitas, sem levar em conta quem está nas ruas.

Fico me perguntando o que passa na cabeça de um folião que pagou por um abadá, é obrigado a ver o trio parar e esperar que o show exclusivo para o camarote aconteça. O grande barato de um trio elétrico é o fato dele ter rodas e acho que o que leva alguém a sair em um bloco é poder comprovar que atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu. Um trio parado vira uma coisa sem a menor graça.

Imagino também o que pensa o folião pipoca que, atualmente, no circuito Barra / Ondina passou a não ter a menor importância. Se no camarote tiver gente, já basta.

O comportamento de meus amigos e colegas com relação a isso me preocupa. Apesar do atraso prejudicar a maioria, sinto um certo silêncio conveniente que me incomoda.

Esse ano teve apresentação exclusiva que durou quase uma hora. Acho inconcebível um trio elétrico parado por tanto tempo em um circuito que é para ser feito com ele andando. Enquanto uma minoria usufrui daquele momento, por vezes ocupado por discursos vazios e rasgações de seda sem a menor importância, milhares de pessoas ficam reféns da boa vontade de alguns que esqueceram que o carnaval de Salvador é uma festa de rua e deve ser feita prioritariamente para quem lá está.

A trilha sonora do carnaval já não saiu mais só das ruas. Os trios competem hoje com o som vindo de palcos montados em camarotes, o que aumenta o caos sonoro. Seria muito bom se os desfiles voltassem a ser feitos para todos. Para os foliões que pagam abadás, para o pessoal que fica na pipoca e para as pessoas que queiram assistir a festa de camarotes, varandas ou janelas. Os artistas que quiserem dar um “plus” a mais aos clientes dos seus camarotes, que acabem o desfile e voltem para lá. Aí sim, em um espaço privado, façam um show somente para quem estiver dentro. Outra alternativa é trocar o desfile da rua por shows em seus camarotes. O que não pode continuar a acontecer é a rua ser transformada em trampolim para apresentações dirigidas a uma minoria, sob pena de, nós, artistas que fomos fundamentais para tornar nossa festa tão cobiçada, sermos transformados nos verdadeiros vilões.

Sei que posso ser mal interpretado por alguns, mas nunca deixei de manifestar meus pensamentos. Não me excluo do problema. Muitas vezes, de cima do trio, me peguei cantando somente para o lado onde estão os camarotes. Apenas quero provocar na cabeça das pessoas uma reflexão. Já ficarei satisfeito se, no próximo ano, pelo menos algum artista, ao passar em frente a um camarote, lembrar que atrás do trio dele vem uma multidão que quer seguir em frente. Se nada for feito, correremos o risco de ouvir os nossos foliões dizerem os versos de um dos inúmeros sucessos do chicletão: “a fila andou, eu te falei, não deu valor, como eu te amei, agora chora, você já me perdeu, tou fora!!!”

Que venha 2012!

Ricardo Chaves

|

112 Respostas

  1. Adriana Carreira

    Tio ricardo, o carnaval de salvador virou altamente elitista e mitiê. Foram gastos 1,5 milhão em cachê para trazer celebridades somente para que concedam o ar da graça ao público em camarotes. Por que nao gastam esse dinheiro com coisas úteis para a cidade/proprio carnaval?

    Já pensou se todos os artistas resolvem cantar em cada passarela que encontrarem pelo circuito? O circuito de carnaval vai ter 15 horas, e o pior, o carnaval vai deixar de ser coisa de rua, vai ser coisa de quem tem dinheiro para ir a camarote. Muito bom texto! parabens.

  2. João

    Ricardo! Parabéns! concordo plenamente com você! e ainda digo o que percebi este ano foi que o carnaval no circuito Barra – Ondina parecia uma micareta indoor, se você olhar para os lados como foi pequena a pipoca este ano. Todo mundo ou estava em algum bloco eu em camarote, acho que a população começa e ver que o carnaval de Salvador está súper elitizado e capitalista, desfilei no campo grande e achei bem melhor que a barra este ano, aprefeitura deveria investir na revitalização daquela área e iniciativas como o do Eva deveriam ser seguidas, o governo deveriam patrocinar artistas como você, Márcia Freire, Carla Visi, Tatau e outros para puxarem trios para o folião pipoca!

    Espero que em 2012 isso comece a mudar!

  3. Taiane

    PARABÉNS!!!!!

    é por esse motivo que eu não sai mais com o asa de águia, por exemplo – amo o Durval, mas acho extremamente absurdo a forma como nos associados somos desrespeitados dentro do bloco.

    E não é só ele, é um absurdo o que alguns artistas estão fazendo ao pararem em seus camarotes e emissoras de televisão e esquecem que tem um bloco pessoas que pagaram para ouvi-los e não para presenciar uma rasgação de seda nojenta.

    É para ver e ouvir artistas como você, e alguns outros pouco, que eu ainda continuo indo ao carnaval de Salvador, por que a vontade que tenho é de cantar em alto e bom som "A fila andou eu te falei não deu valor como eu te amei, agora chora.."…— que por sinal eu já canto para o ASA.

    Beijos!!!

  4. camillynha Silva

    – Concordo em número,gênero e grau com vc RC…nunk fui no carnaval de salvador,mas o pouco que acompanho pela internet ou televisão…me mostra exatamente o que vc falou.Os cantores tem que pensar mais em quem ta seguindo ele…muitas pessoas saem de cidades distântes pra vê-los e quando chega a tão esperada hora,se deparam com o caos que se tornou o carnaval de salvador,e falta de gradidão e atenção de seus idolos.Parabéns pela sua consciência…É por essas e outras razões que fizeram vc se tornar o REI da folia…BJuS

  5. Rodrigo Pereira

    Olá Ricardo,

    Li seu texto na íntegra, tenho certeza que a sua intenção foi das melhores, mas, em alguns pontos, peço lincença para discordar.

    Essa história que o carnaval deixou de ser popular é mais velha que a minha falecida vó, isso é fato há tempos. Ocorre que os tempos mudam, é impossível manter uma coisa do mesmo jeito que foi criada por todo o tempo, repito, é impossível.

    Eu sou Chicleteiro, paguei R$ 840,00 pra sair no domingo do Camaleão e acho que gastei muito bem cada centavo, pois curti 7 horas quase q efetivas de bloco. O camaleão parou na frente do Camarote do Nana, Bell desceu, tocou 4 músicas e se despediu.

    Sinceramente, não vi nada demais no que aconteceu, não fiquei em depressão pelos meus R$ 840 que gastei no bloco por ver o Rex parar por 15 ou 20 min no Camarote do Nana, e muito menos me senti excluído, pois o trio continuava sendo nosso….só o Bell que entrou, acho isso uma besteira.

    Muito mais importante que isso que vc falou dos camarotes, são os blocos…fiquei orgulhoso do que o Eva fez esse ano, sair sem cordas…pra mim, que sou chicleteiro, é quase uma Utopia imaginar a mesma atitude do Chiclete.

    Mas, sonho um dia ver os Reis do Axé presenteando o povo baiano dessa forma, pq foi esse povo que os colocaram os eles estão hj….

    É isso…mesmo assim, parabéns por sua palavras e continue sendo esse artista honesto que vc é.

    Abs!

  6. Djalma Santos

    Concordo plenamente, fico triste ao ver grandes artistas se curvarem de forma desenfreada às imposições de seus patrocinadores, kd o respeito pelo povo? vejo que os grandes camarotes das grandes "artistas" ainda prometem muito caos ao carnaval baiano.parabéns pela sua iniciativa e pela coragem. Pulei meu carnaval com vc no bloco Furacão em Floriano/Pi foi o bicho!

  7. Pingback : Reflexões de Cinzas | Carnaval quem faz é o folião

  8. Danilo

    A verdade é uma só, vamos ser sinceros. O carnaval de Salvador poderia muito bem ser chamado de FESTA DOS HIPÓCRITAS! E digo pq:

    É engraçado ler uma grande crítica aos camarotes partindo de um dono de camarote. Os camarotes são o defeito do carnaval? Em partes.

    TODOS, eu digo TODOS sem excessão, doa a quem doer, tem culpa. Inclusive eu e vc que ler isto.

    Claro que a atitude, principalmente do Sr. Durval Lelys, foi absurda! Parar e fazer showzinho para a grande maioria dos camarotes é o maior desrepeito ao associados do seu bloco, que já são forçados a comprar o pacote completo do bloco pois sua empresa, o Reino da Folia, pratica uma política desleal de vender um dia de bloco a 900 reais e o pacote a 1.600, forçando o folião, o grande bobo da corte no carnaval, a comprar o pacote.

    Outra coisa: Reclamam muito do Bell Marques que basicamente dá atenção ao seu camarote e as TVs. Mas dos males, ele pratica o menos pior. Apesar que o desrespeito dele com os associados do bloco é mais na parte da superlotação, pois a Central do Carnaval vende camisas até não poder mais.

    Mas os defeitos do carnaval não páram por aí: O repertório dos artistas é sacanagem: Todo mundo sabe que Durval é Reiciclável, que Bell tá lisinho, que Ivete Acelera e quer desejo de amar, que Claudia pede água, entre outros. Pra que repetir tanto? Nosso ouvido não é pinico. Ainda mais ouvir músicas que não combinam com o clima esperado quando se compra um bloco. Tocar musicas de outros artistas algumas vezes é aceitável, mas o folião de blocos grande de artistas consagrados vai à Salvador querendo rever o sonho de ouvir as clássicas, as antigas que tanto amamos.

    Agora, pq tantas músicas comerciais? Pq o carnaval é um comércio. Pra mim é a mistura da Fifth Avenue en NYC com o bordel mais baixo que se possa imaginar. É a venda pelo o q paga mais. E os que caem na festa de paraquedas pq é a festa é pop, é glamurosa! Mulher bonita não paga, mulher top vai em cima do trio, quem tem influência idem.

    Agora falando da Bahia e seu povo, que tanto reclama.

    Todo mundo já sabe da migração dos blocos pop do Campo Grande pra Barra. Isto ocorreu pela ganância. Dinheiro é o que importa. Pra que fazer um show q pode durar 7, 8 horas no campo grande se faço um de 5 horas na Barra ganhando mais? Fazendo a alegria dos endinheirados nos camarotes mais vips? Aí o Campo Grande virou a festa dos baianos, que vão todo ano com suas placas de protesto, mas na quinta feira depois do carnaval já lamentam pq o dinheiro dos turistas que os alimentam pelo resto do ano já acabou. E os q não querem trabalhar no carnaval vão roubar turista, ou seja, seu ganha-pão. E assim espanta seu "cliente". É o cúmulo da burrice!

    E a polícia, mal preparada, que bate em todo mundo. Esquecendo que todos em volta são de fato seus patrões, pois pagam os impostos que geram seus salários.

    Carnaval de Salvador quando a gente para pra pensar é triste. Porém é a maior festa do mundo. POPULAR não! HIPÓCRITA SIM!

    Tinha mto mais coisa pra falar, mas já está grande demais!

  9. Pingback : Silêncio Conveniente | Carnaval quem faz é o folião

  10. Airllys F. de La Sal

    Concordo plenamente com vc e até pela TV causava um certo incômodo ver os trios tanto tempo parados. Achei uma falta de respeito para com os foliões do bloco. Se eles estão lá é porque esperam desfilar por todo o percurso sem interrupções. E como vc mesmo diz: "É pouco papo e muito som".

  11. WAGNER

    APESAR DESSE ANO NÃO TER IDO PRA SALVADOR,ESSE PROBLEMA DE SHOWS EXCLUSIVOS EM CAMAROTES JA FAZ UM TEMPO.
    VOCÊS ARTISTAS TEM Q PARAR COM ISSO MESMO,DEIXAM O SÓCIO DO BLOCO E PIPOCA A VER NAVIOS ENQUANTO QUEM ESTA NO CAMAROTE SE DIVERTE.

    WAGÂO CHICLETEIRO

  12. Pablo Moura

    Grande Ricardo! Parabéns pelo depoimento deixado em seu blog… ele expressa realmente o que vem acontecendo no carnaval de SSA nos últimos anos. Esse ano estive no domingo do Bicho, foi a segunda vez que saí no seu bloco e pude mais uma vez comprovar a diferença de estar em um bloco comandado por uma pessoa que além do talento incont…estável demonstra ter um grande bom senso! Foi o melhor dia de todo o meu carnaval desse ano e em 2012 estarei com vc os dois dias (torcendo por um terceiro). Obrigado por ter proporcionado a mim e a todos os meus amigos e foliões que estiveram no Bicho uma noite inesquecível de carnaval… a cad ano entendemos melhor pq o Bicho não é um bloco, e sim um estado de espírito… um forte abraço e até 2012!!! Obs: seus fãs do rio de Janeiro estão com saudades…apareça!!!

  13. Kaliny

    Guamaré/RN agora em 2011, pela primeira vez sofreu a ameaça de ter que ver os shows no trio parado, por uma irresponsabilidade da COSERN em não levantar os fios na avenida. A cidade se agitou, todos ficaram loucos com a idéia de nao poder sair atras do trio. O problema foi sanado minutos antes do primeiro show do Carnaval.
    Se talvez um dia, sofressem a ameaça, nem que por um segundo, de ter seus trios parados, impossiblitados de andar, dariam mais valor aos arrastões e pensariam duas vezes ao fazer o publico que está no arrastão ficar a mercer por minutos/horas a espera da atençao do artista novamente.
    Ricardo, em nome do Prefeito Auricélio, da Secretária de Turismo Kelly Margareth e toda Guamaré, agradecemos sua ilustre participação em nosso carnaval, saiba que os elogios foram incontáveis, se fosse possível enumerar e repassar as mensagens, tenha certeza que levaria dias, muitos dias pra falar de todos eles. Parabéns, seu show foi MASSA, vendo o video agora do encerramento, me deu vontade de voltar o tempo e reviver aquela emoção novamente!
    Abraço a toda equipe RC e desculpe-nos por alguma falha.

  14. Tâmara e Rosa

    Concordo plenamente com você. O carnaval é uma festaa de rua, se fosse um festa exclusiva para certo publico, o artista tem o ano inteiro para fazer, acho sim, parar por algum tempo, que não atrapalha,pelo contrario, é até um tempo para o folião e até o proprio artista terem um tempo para respirar, tomar uma agua.Mas como você mesmo disse, um trio parado por horas é sem importancia nenhuma. Porque no arrastão na quarta-feira de cinzas o trio segue seu caminho, sem parar em lugar nenhum?porquee nos dias normais de carnaval não é parecido com o arrastão?Tem que haver uma mudança seria no carnaval de salvador, sem falar em todos os outros motivos que todos nos sabemos bem quais são!
    Grande abraço Ricardo. Sucesso pra você!

  15. Dinha

    Nada contra quem quer colocar seu camarote no Barra-Ondina desde que não atrapalhem a fila e cada um respeite quem está aguardando para passar com o bloco.O pior são os artistas que tiraram os blocos tradicionais da Avenida e 'jogaram' na Barra UM VERDADEIRO ABSURDO! tradição é tradição se o bloco Y é do Campo Grande tem que ficar lá, caso a atração que é dona do bloco não esteja consiga tocar todos os dias, basta diminuir os dias que toca nos alternativos da Barra e ficar só com a Avenida ou dividir os dias na Avenida com outra atração.

  16. Dinha

    (continuação)
    Ouvi dizer que estão querendo diminuir a Avenida e terminar ali na Castro Alves…achei outro ABSURDO pois tradicionalmente a Avenida sempre 'voltou' pela Carlos Gomes, já que o circuito ficará menor será que os blocos irão diminuir os valores dos abadás também? aposto que NÃO!
    Assino embaixo em tudo que você escreveu espero que em 2012 os orgãos competentes cuidem melhor do carnaval e os artistas deixem de fazer show particular para os camarotes,a fila tem que andar ou não tinha sentido a banda ficar sobre um caminhão. Quem quiser fazer show particular que depois do circuito volte para o camarote e use o palco, que cada um tem.

  17. Miguel

    Parabéns Ricardo pelo texto, estive em Salvador esse ano pela sexta vez no carnaval e, vi que aumentaram o número de camarotes no circuito Barra/Ondina e isso faz com que diminuam os espaços para a pipoca e, realmente esse ano os atrasos foram enormes. E esses atrasos querem compensar com os seguranças dos carros de apoios imprensando todo mundo junto ao trio, ocorreu muito esse ano, o trio para e os seguranças continuam com o carro de apoio indo em direção às pessoas dentro do blocos, isso é um desrespeito para quem paga caro pelo abadá e, que na verdade foi ao melhor carnaval do mundo para brincar e se divertir e não para ser imprensado. Sai no circuito do Campo Grande e lá foi uma maravilha. Ricardo um abraço para você e até o carnaval de 2012.

  18. Tâmara

    Estou completamente de acordo com seu texto. Sou completamente apaixonada pelo EVA, e estou cada vez mais orgulhosa da banda e da produção, são exemplos de pessoas competentes, que realmente honram com a festa: o CARNAVAL. Se Saulo passa 5,7 horas em cima do trio, ele resgata a historia do carnaval, os sucessos antigos junto com os novos, é raro você ver saulo repetindo musica durante o percusso.Além de que, no meu ponto de vista, os fãs do Eva ( falando dos de Salvador) se orgulham cada vez mais, porque o EVA se lembra que nos existimos durante o ano, fazendo diversos shows e apresentações, enquanto alguns artistas, aparecem de passagem por aqui.

    Acho sim desnecessario ficar repetindo 50 vezes a mesma musica ,somente porque ela foi considerada a musica do carnaval.A mistura de ritmos no carnaval, eu concordo em partes,porem, acho, que é o festival de verão a festa das "misturas". Apesar de ter gente que goste, não concordo sair um trio com musicas eletronicas,funk.
    Um grande abraço pra você Ricardo.

  19. cássio ribeiro

    a verdade é que os artistas grandes esto acabando com o carnaval de ssa. o povo já nao tem vez há muito tempo.estao acbando com o carnaval do campo grande pois eles ja nao aguentam mais cantar no circuito que é maior e agora eles estao fugindo para a barra ondina que é um circuiro pequeno e cada vez mais explorando as pessoas com abadas ridiculos carissimos onde quem sai nesses blocos nem tem o devido respeito que merece.isso já nao é novidade.esses grandoes sao os responsaveis pelo axé ter caído tanto.Gosto do ricardo chaves pois nunca enrolou na avenida.sempre deu valor ao folião do seu bloco.Enquanto uns e outros aí nem tanto.Mais a culpa disso é de quem enche os camarotes e blocos.Se ninguem comprasse isso mudaria.infelizmente alguns gostam de dar 2000mil em chiclete e etc o que é um absurdo pois os patrocinadores deles ja botam o bloco na rua.

  20. Liane

    Só hoje li este texto, após mais de 15 dias do carnaval, porém não posso me furtar de concordar com TUDO que foi colocado. Sugiro que este texto seja publicado durante todo ano como forma de reflexão de todos nós. Parabéns Ricardo Chaves! Faço também uma ressalva: O carnaval da Avenida precisa de socorro, e já faz tempo!

  21. Carnaval é energia. Vc vem com todo gás e derrepente…camarote. Daí volta o Gás e Camarote de novo. PQP é mais ou menos vc estar pra gozar e a mulher dizer..só um instantinho que vou retocar a maquiagem. Ninguém merece!!!!

Deixe um Comentário

Acabou // Ao Vivo (1998)
  1. Acabou // Ao Vivo (1998)
  2. Pot-pourri Não quero dinheiro / We are the world of carnaval // Ao Vivo (1998)
  3. O Bicho // Ao Vivo (1998)
  4. Clareia // Ao Vivo (1998)
  5. Ara pra valer // Ao Vivo (1998)
  6. Sexta-feira // Ao Vivo (1998)
  7. É pra valer // Ao Vivo (1998)